.

.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Ricardo Coutinho defende novas eleições no país e diz que a “Lava-jato já era”

O governador Ricardo Coutinho (PSB) afirmou que defende que sejam realizadas novas eleições no país para a escolha de um novo presidente da República. Segundo ele, apesar de sua defesa da democracia e da permanência da presidente Dilma Rousseff (PT) no poder, ele afirma que na votação deste domingo na Câmara dos Deputados, ficou comprovado que ela tem legitimidade para governar, mas não tem mais governabilidade. No entanto, para ele, Michel Temer (PMDB) não tem nem legitimidade e nem governabilidade para gerir o país. Ele ainda afirmou que agora a “Operação ‘Lava-jato’ já era”.
“Esse país precisa recobrar sua legitimidade, legalidade e governabilidade. E acho que isso só pode ser conseguido através do povo. O povo precisa escolher seus governantes. Precisa de novas eleições porque falta legitimidade, porque todo este quadro que aí está se tornará uma panela de pressão cada vez maior. A violência em que se deu isso irá acirrar os ânimos e isso é o que eu menos quero. Quero que o país volte a ter tranquilidade para estabilizar sua economia e voltar a crescer”, afirmou o governador.
Segundo ele, a falta de legitimidade do vice-presidente Michel Temer se expressa na alta rejeição ao seu nome para presidir o país. “Fico triste porque não sei as consequências desse impeachment. Dilma tinha legitimidade porque foi eleita, mas não tinha mais governabilidade e ontem se comprovou isso. Mas o vice-presidente não tem nem uma coisa e nem outra. Porque isso foi conduzido por umas pessoas que jamais podem falar em combate à corrupção”, declarou.
De acordo com Ricardo Coutinho, após o prosseguimento do processo de impeachment da Câmara para o Senado, ele acredita que cada vez mais a operação Lava-jato perderá fôlego. “A Lava-jato já era, porque na verdade esta se construindo neste país um grande acordo das elites políticas e econômicas para fazer com que muita coisa paralise. Depois que saiu a lista da Odebrecht parou tudo, se recolheu tudo e ninguém mais falou em corrupção, observe”.
Ricardo diz que parlamentares não representam a população
Ricardo Coutinho criticou ainda a postura de parlamentares que votaram a favor do impeachment e disse que a população não se sente representada por eles. “Estes que impregnaram o ódio no Brasil de 15 meses para cá, colocando brasileiro contra brasileiro, pobre contra rico, o racismo voltando… estes que comandaram isso não conseguiram sequer participar de uma manifestação popular porque o povo não se sente representado por eles. Este povo que sobe ali na tribuna do Senado ou da Câmara faz aqueles discursos contra a corrupção, mas o povo sabe quem são e quando eles chegam nas manifestações o povo bota para correr”, disse.
Ele ainda continuou a crítica e a dirigiu ao deputado federal Manoel Júnior (PMDB). “Contra Dilma não tem um processo, uma denúncia. É uma mulher honrada tendo um governo complicado, até por causa das opções que foram feitas e foram estas opções que a traíram, gente banida do governo, gente que foi ministro e gente que queria ser ministro três meses atrás, se ajoelhando e dizendo que a presidente era a pessoa mais correta do mundo, que o governo era o melhor do mundo porque queria ser ministro da saúde e ontem chega lá com uma fita amarela e verde não dignificando as cores do Brasil, porque o verde a amarelo precisa ser respeitado”.
blogdogordinho