.

.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

“Operação Andaime penaliza Carlos Antônio”, dispara deputado ao frisar que ex-prefeito sequer dá entrevistas

Cotado para disputar a prefeitura de Cajazeiras nas eleições de 2016, representando o grupo das oposições, o deputado estadual José Aldemir, do PEN, mirou sua artilharia contra o ex-prefeito da cidade, Carlos Antônio, nesta quarta-feira de cinzas (10), minimizando o potencial do grupo do ex-aliado para o pleito de outubro.

Conforme o deputado, as suspeitas que recaem sobre o ex-gestor descredenciam seu grupo para qualquer eleição.Carlos Antônio é esposo da atual prefeita Denise Albuquerque, que vai disputar a reeleição.

“Depois dessa Operação Andaime, desses processos judiciais que penalizam, que condenam o que se chama de maior líder da oposição, que é o ex-prefeito Carlos Antônio, que não tem direito de dar entrevista nem de subir em palanque em razão dos processos judiciais, que é considerado como ficha suja, a população e os partidos miram outras alternativas e me sensibiliza bastante esse clamor pelo meu nome”, disse.

Aldemir disse que se entristecia pelo fato de Carlos Antônio ter enveredado por outro caminho que não fosse o da política séria, honesta e reta e foi exatamente por esse motivo que decidiu se afastar do colega.

“Eu digo isso com tristeza, que ele tenha se conduzido para esse rumo, não podendo ser reconhecido sequer como cidadão, não tem direito a votar nem ser votado, foi meu amigo, mas devido a essas coisas, me afastei”, explicou.

2016 - Apesar de ser o principal nome do grupo, Aldemir disse que, até agora, não há definição sobre ser ele o candidato que vai disputar a prefeitura da cidade de Cajazeiras em 2016.


“A preocupação primeira e prioritária não é ser candidato a prefeito de Cajazeiras, mas sim consolidar plenamente a unidade dos partidos de oposição. Feito isso a gente vai discutir os nomes. Eu quero dizer que me sinto sensibilizado naturalmente e reconhecido pela manifestação popular, que lembra do meu nome de forma substancial. Me sinto estimulado quando recebo uma manifestação voluntária, mas a prioridade é unir as oposições”, sentenciou.

Com informações de Henrique Lima