.

.

domingo, 22 de novembro de 2015

Líder da oposição é entrevistado e denuncia que esposo da prefeita de Cajazeiras impõe e ordena servidores públicos

O Vereador Jucinério Félix, que é o atual presidente do (PPS) de Cajazeiras, foi entrevistado no Programa Trem das Onze, da Rádio Alto Piranhas AM, na tarde deste domingo (22) e, na oportunidade, ladeado dos demais pares, Neguinho do Mondrian e Neto da Vila Nova, amigos e correligionários – o parlamentar abordou as problemáticas vivenciadas pela população cajazeirense e fez cobranças e denuncias.

Pela ausência de uma comprometida com o social - conforme promessas amplamente divulgadas no período de campanha eleitoral, o vereador criticou duramente a gestão opaca da socialista Denise Albuquerque (PSB), que segundo um parlamentar apenas assina papeis e nada mais. “Nós estamos cansados de denunciar, quando o Executivo manda às pressas, à Câmara – projetos de lei com urgência urgentíssima, com o propósito de aprovarmos esses tais projetos, sem tempo suficiente de uma leitura consciente, mesmo assim nós aprovamos e quando vamos observar mais tarde tem alguma ilegalidade”, destacou o parlamentar.

Ainda de acordo com Félix, ações nas áreas da saúde, educação, infraestrutura, iluminação pública, social e outras – estão a desejar. “Lembro-me, muito bem, que chegou um Projeto de Lei na Câmara Municipal às pressas para ser votado, era na verdade um Processo Seletivo, para beneficiar dentro da legalidade, pessoas, mas até hoje, não sou sabedor no que deu” – prosseguiu - “Cadê o processo seletivo, que empurraram com urgência urgentíssima”? Perguntou.

- Sobre as eleições municipais próximas, Jucinério Félix afirmou que as oposições divulgarão, sob consenso, um nome antes do final do ano, para que a população faça uma leitura. “Nós temos muitos nomes, temos Gobira, Vituriano de Abreu, Zé Aldemir, Neguinho do Mondrian, Adjamilton Pereira e eu – eu estou pronto para o embate”, declarou o político. No transcurso da entrevista, o interlocutor Fernando Caldeira perguntou quem seria o nome para concorrer à Prefeitura de Cajazeiras, Jucinério garantiu que a oposição têm muitos. “O nosso grupo político vai apresentar um nome ainda este ano, o lado de lá é que não tem até agora – só o nome da prefeita, porque o cacique só aceita se for o pano de prato da sua casa”, presumiu. Sobre o “cacique” Jucinério fez referência ao ex-prefeito, que está condenado na Lei da Ficha Limpa.

Momento que causou espanto foi quando o parlamentar-mirim fez rasgados elogios à gestão do governador Ricardo Coutinho e, administração da saúde do HRC. “Oh, homem bom esse governador Ricardo Coutinho”. Em contrapartida, o vereador denunciou que o ex-prefeito Carlos Antônio tem feito constantes visitas às secretarias, órgãos municipais e departamento e, inclusive ao Conselho Tutelar, para cobrar dos servidores mais empenho em suas funções e de certa maneira intimidar as pessoas – relação corriqueira do esposo da prefeita. “Ele não tem moral, não pode ser votado nem votar, não é cidadão de bem, está fazendo visitas às secretarias impondo ordens aos servidores mesmo sem direito de oficio”, desabafou.

Na sequência, o parlamentar citou a “Operação Andaime”, que existe o envolvimento de servidores de confiança da gestão da prefeita Denise – envolvidos, sob denúncia e Inquérito Policial junto ao MPF/PB, CGU e PF. Jucinério lembrou a tentativa de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para acompanhar as investigações dos desvios de recursos públicos no SCTrans, sendo a referida (PCI) derrubada pela bancada de situação, influenciada e liderada pela prefeita e seu esposo.

A campanha eleitoral passada foi uma enganação, cadê a Fazenda da Esperança, deram um calote eleitoral no povo, a oposição perdeu a campanha porque o ex-prefeito com ajuda de muitos, fizeram propaganda eleitoral com conteúdo enganatório”. Ainda no uso de sua fala, o vereador oposicionista chegou a dizer que é vergonhoso o atraso da conclusão da Avenida Aldo Matos de Sá – “Outra coisa, a escola do CAIC vai cair na cabeça dos alunos”, completou.


Da redação