.

.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Baixo nível marca Arbitral do Campeonato Paraibano 2016

Divergências no campo das ideais e ataque ao pessoal deram a tônica do Conselho Arbitral do Campeonato Paraibano 2016 realizado, nessa quarta-feira (18), na sede da Federação Paraibana de Futebol (FPF).
O clima nada cordial entre os dirigentes arrastou o encontro até o início da noite. O momento mais tenso se deu quando o presidente do Sousa Esporte Clube e vereador da cidade de Sousa, Aldeone Abrantes, abandonou a sala de reunião após uma discussão com o ex-presidente do Treze Fábio Azevedo.
Isso é típico de Aldeone, que gosta de teatro”, retrucou Azevedo.
Entenda
Enquanto Treze e Campinense defendiam a manutenção da fórmula da edição deste ano, quando a competição foi disputada no sistema de pontos corridos, com os quatro primeiros se classificando para um quadrangular final, e os dois últimos sendo rebaixados, Sousa, Botafogo e Auto Esporte lideraram a proposta aprovada, a qual divide a competição em dois grupos de cincos times e possibilita que um clube eliminado em mata-mata seja campeão estadual. A primeira fase ainda exclui o Clássico Tradição entre Botafogo-PB e Treze.
O grupo “A” apresenta Auto Esporte, Santa Cruz, Campinense, Sousa e Paraíba, já o “B” estão Botafogo, Treze, Atlético, Esporte e CSP.
Detalhe: Os clubes enfrentam apenas as equipes do grupo oposto, em jogos de ida e volta, se classificando seis para um cruzamento. Os quatro restantes fazem um cruzamento para o rebaixamento.
Na segunda fase os líderes de cada grupo enfrentam os terceiros da outra chave, e os segundos se cruzam. Os três que vencerem os confrontos avançam para as semifinais, que será complementada com o inusitado: o eliminado de melhor índice técnico ressuscita e também segue no campeonato com chances de ser campeão.
Maiorais reprova fórmula
Contrários a fórmula de disputa aprovada, Petrônio Gadelha e William Simões, presidentes de Treze e Campinense respectivamente, não assinaram a Ata de reunião. O mandatário trezeano, inclusive, não descartou recorrer ao Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD-PB) e posteriormente ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para tentar reverter a decisão.
Mais PB