.

.

domingo, 15 de novembro de 2015

Acusado de estupro é morto na mesma noite que chegou ao presidio PB1 por ordem de facção

O presidiário Antônio Carlos Mendes Barbosa, 25 anos, foi encontrado morto dentro de uma celas do presídio PB1, em João Pessoa. O homem foi assassinado na noite da última sexta-feira (13) por outros dois detentos, que de acordo com informações cumpriram ordens de líderes de facções criminosas da Capital e que também estão cumprindo pena no presídio.
O detento que foi morto é acusado de ter estuprado três vezes em uma noite, uma adolescente de 14 anos, moradora do sítio Lutador, em Queimadas, no agreste paraibano. Antônio Carlos invadiu a casa da vítima, que vivia com seu companheiro, um adolescente de 15 anos que foi agredido e ferido.
O detento assassinado havia sido transferido para o PB1 ainda na noite de sexta. Ele foi morto possivelmente por esganadura na cela que dividia com outros dois detentos, que também cumpriam pena por estupro. O corpo foi pendurado para simular suicídio.
Segundo as informações obtidas, os líderes de uma facção criminosa haviam ordenado a morte do presidiário como forma de tentar derrubar a direção do presídio.
“Os dois detentos que estavam na cela do presidiário morto confessaram o crime. Eles contaram que foram obrigados a matar o rapaz porque seriam mortos se não o fizessem. A ordem teria partido de líderes de uma facção criminosa para pressionar mudanças na direção do presídio”, contou a fonte da informação.
Relembre a prisão

JP Online