.

.

sábado, 7 de novembro de 2015

Atormentado por não ter emplacado filha de advogado que defende envolvidos na “Operação Andaime” na Casa Civil “CA” persegue

A polêmica em torno da sucessão de Léa Silva (DEM) na Casa Civil do governado - ainda não acabou. Após a indicação do ex-prefeito Carlos Antônio (DEM), a jovem Paula Laís de Oliveira Santana, filha do advogado Paulo Sabino, da cidade de Cajazeiras surgiu um novo capítulo, que não teve desfecho do governador Ricardo Coutinho (PSB).

O nome da advogada cajazeirense foi indicado na última quarta-feira, em reunião com chefe do executivo estadual, mas o Diário Oficial do Estado, ainda não trouxe a confirmação da mesma.

A indicação de Paula não foi aceita pelo (PSB) local, o presidente da legenda, Rivelino Martins ocupou a imprensa na sexta-feira (06), para deixar claro que o partido é contrário à nomeação da jovem.

Segundo Rivelino Martins, o posicionamento do (PSB), do qual a prefeita Denise Albuquerque faz parte - foi comunicado ao governador do Estado. “Nosso posicionamento é verdadeiro e transparente, mas a decisão final é de Ricardo, porque o cargo é do Estado”.

Ele ponderou nas declarações e disse que seu posicionamento transparente não causou qualquer ‘aranhão’ na união do grupo situacionista que continua coeso.

O motivo de o partido não aceitar o nome de Paula é o mesmo que o governador teve para não ‘engolir’ o vice-prefeito de Cajazeiras, Júnior Araújo (PTB), no ninho girassol, que foi está com Cássio na campanha do ano passado.


Da redação
Com DIÁRIO DO SERTÃO