.

.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Prefeito sanciona lei que torna vaquejada patrimônio cultura e protetores de animais saem em defesa. Leia!

Foi sancionada pelo prefeito André Gadelha, da cidade de Sousa, no Sertão paraibano, no último dia (26/04/2016), uma lei que torna a prática conhecida por vaquejada como patrimônio cultural daquela cidade. 

Portanto, em desacordo com a referida lei, um grupo de pessoas tidas como protetoras de animais, uma associação local e dezenas de simpatizantes à causa – saíram em defesa, pois, segundo os mesmos, a antiga prática causa maus-tratos aos animais. Abaixo, uma exposição em relação a polêmica; nas redes sociais, o Grupo de Proteção de Defesa Animal (CPDA) da (UFCG) emitiu uma nota de repúdio.

CÂMARA MUNICIPAL DE SOUSA-PB APROVA LEI QUE TORNA A VAQUEJADA PATRIMÔNIO CULTURAL DA CIDADE.
No dia 26 de Abril de 2016 foi sancionada a Lei Municipal n• 2.607, que tornou a prática cruel e desumana da Vaquejada suposto Patrimônio Cultural de nossa cidade!

É com muita indignação e revolta que recebemos tal noticia, que em momento algum foi chamada para discussão ou contestação.

Ontem, o Grupo de Proteção e Defesa Animal - CPDA da UFCG emitiu em sua página do facebook uma nota de repúdio a essa desvirtuosa lei e se uniu a nós e a protetores de toda Paraíba para contestar a validade de tal ato legislativo com base na Constituição da República Federativa do Brasil , em seu artigo 225, § 1o, inciso VII, garante a proteção da fauna e da flora, vedando as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção das espécies ou submetam os animais à crueldade". Inclusive, ontem, dia 02/06 voltou a ser discutida uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no STF contra uma Lei Cearense que tenta regulamentar a Vaquejada, ação essa, ajuizada pelo PRG que afirmou:

"É ressabido que as vaquejadas traduzem situação notória de maus-tratos aos animais. A prática é inconstitucional, ainda que realizada em contexto cultural".
A Vaquejada, tal qual o Rodeio, tenta usurpar a real definição de cultura para receber o aval de continuar lucrando em cima do sofrimento animal.

NÃO, nem todo costume, nem toda prática reiterada pode ser considerada Cultura! Se assim fosse, incluiríamos nessa lista a também famigerada rinha de galo!

Explorar um cavalo, enquanto corre atrás de um Boi para derrubá-lo puxando-o pelo rabo, muitas vezes provocando sérias lesões espinhais ou arrancando seu rabo fora, não é motivo de orgulho!

Infligir sofrimento aos animais não é esporte, não é cultura, É Crime! É Vergonha!


VAQUEJADA NÃO É CULTURA, É TORTURA! 
#apassousa #protecaoanimal #naoaosmaustratos


Da redação