.

.

domingo, 30 de agosto de 2015

"Negligência. Matam os bons e deixam os doentes. Tem vacina!"

"Muitos animais são mortos com exames falso-positivos e muitos falso-negativos ficam vivos". Disse Neto veterinário. E mais: "existe vacina!"

O Programa Café Conectado da terça (25) recebeu o Médico Veterinário Francisco de Assis Neto da CLINVET, de Cajazeiras. Neto falou sobre vários assuntos relacionados à saúde do animal e consequentemente da saúde pública, focado na prevenção de doenças nas comunidades.
O veterinário esclareceu sobre diversos assuntos relacionados à saúde dos cães, como a Leishmaniose, especialmente a problemática nos animais de rua. "O cão portador de calazar pode ser abraçado, beijado, não vai transmitir a doença assim, nem em contato com o sangue dele".  Enfatizou, inclusive sobre outros animais que podem ser reservatórios, como ratos e até os próprios humanos.
Alertou ainda sobre a Leishmaniose: "É uma doença negligenciada; muitos animais são mortos com exames falso-positivos e muitos falso-negativos ficam vivos". E mais: "existe vacina"!
Sobre o mosquito transmissor do calazar, o veterinário explicou sobre a diferenciação com o mosquito da dengue, com relação ao criadouro e formas de eliminação do vetor responsável.
"A comida que se faz para a família não deve ser a mesma para o animal. A carne deve ser cozida, só que sem os condimentos", explica o profissional sobre problemas que os temperos usados podem trazer à saúde dos 'peludinhos'. Além de quais frutas e alimentação diversa pode ser utilizada para eles.
Falou ainda sobre a qualidade das rações e riscos que trazem as de má qualidade. "Observar as fezes e urina, podem indicar muitas enfermidades".
Neto conversou sobre projetos que deram certo em outras regiões no que diz respeito a controle de natalidade em animais de ruas. A esterilização seria a via mais efetiva e definitiva nesse processo, não só no combate a superpopulação de cães e gatos, como também no aumento da esperança de vida dos animais.
Dentro da diversidade de assuntos abordados Neto falou sobre as injeções anti cio e o risco à saúde do animal. Assim como opinou sobre os 'maus tratos causados nos animais que são alimentos para os humanos: "mesmo sendo para consumo o animal deve ter seu bem-estar garantido".
Diário do Sertão