.

.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Vereador que responde vários processos quer negar o direito de pessoas comuns frequentarem e se manifestarem no plenário da Câmara Municipal de Cajazeiras

Em sessão ordinária bastante tumultuada, realizada no inicio da noite da última segunda-feira (17), na Câmara Municipal de Cajazeiras, os vereadores Jucinério Félix (PPS) e Marcos Barros de Souza (PSB), se desentenderam mais uma vez após Jucinério cobrar providências sobre a demora e sequentes cortes no fornecimento de água para os bairros altos da Zona Norte, por exemplo.

Sempre atrapalhando o raciocínio do vereador Jucinério Félix em sua fala na tribuna, espectadores presentes no plenário reclamavam, pedindo que o também vereador Marcos Barros fizesse silêncio, porém, o referido parlamentar – chegou a mandar o presidente do Poder Legislativo, vereador Nilson Lopes proibir que as pessoas se manifestassem e até mesmo de frequentar o plenário da “casa do povo”, vaiado, o parlamentar não se intimidou e deu sequencia aos seus insultos intimidatórios.

Ainda no calor das discussões, ambos trocaram farpas; Jucinério lembrou, que caso Marcos Barros volte a presidir à Câmara Municipal, como é um desejo permanente do mesmo, não permita e não use de manobras para nomear assessores e ficar com parte dos salários dos servidores, em contra partida Barros logo retrucou e atribuiu que esta prerrogativa é de autonomia do presidente do legislativo e ponto final. “Fique sabendo que serei um carrapato na gestão do prefeito eleito Zé Aldemir”, ameaçou o socialista cajazeirense.

Por não saber caminhar pelas alamedas da oposição, Marcos Barros tenta tomar a Presidência da Câmara a toda custa, para se livrar dos vários processos que responde na Justiça – entre eles; um por pedofilia (0000983-83.2012.815.013X) e outro por Ação Civil de Improbidade Administrativa (0002656-14.2012.815.0131). VIOLAÇÃO AOS PRINCÍPIOS ADMINISTRATIVOS.



Da redação