.

.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Jucinério Félix desafia Rivelino Martins apontar qual setor de trabalho do vereador Marcos Barros no Hospital Regional de Cajazeiras

Em entrevista prestada aos jornalistas Elias Júnior e Jarismar Pereira, âncoras do programa Sempre Alerta da Rádio Patamuté FM de Cajazeiras, na tarde da última quarta-feira (19), o vereador Francisco Jucinério Félix Filho (PPS), foi agradecer pela sua reeleição e aos eleitores que ele, confiou expressiva votação.

Obstinado no que faz, destemido e encorajado pela luta que trava em prol da igualdade social e contra atos de corrupção na política, o parlamentar em sua participação na referida entrevista, citou um fato que vem sendo bastante discutido nos últimos dias pelos cajazeirenses – onde o ativista cultural e recém-eleito-vereador Rivelino Martins (PSB), que tem pregado pelo fim do pagamento da (TIP – Taxa de Iluminação Pública), que é cobrada pela companhia fornecedora de energia elétrica e, os valores são repassados à Prefeitura Municipal de Cajazeiras para custear dividas antigas cobradas pela ENERGIA.

Jucinério indagou por que o ativista não havia cobrado pelo cancelamento da (TIP) durante o curso da atual gestão, já que Rivelino é parceiro e presidente do partido da prefeita? Acirrado o debate, Rivelino Martins participou da entrevista via telefone e afirmou que as discussões de interesse coletivo são válidas à qual tempo e que pretende levar adiante o debate. Jucinério fez outras indagações sobre questões estaduais e desafiou Rivelino por ele se mostrar tão justo. “Desafio você vir aqui na rádio apresentar a repartição pública do Governo do Estado, que o funcionário Marcos Barros trabalha e recebe dinheiro público”? Finalizado o programa, nem Rivelino nem outra pessoa deu respostas.

Ainda de acordo com informações do SAGRES/TCE-PB, o vereador Marcos Barros de Souza (PSB) é lotado na Secretaria de Estado da Saúde, como Assistente Administrativo no Hospital Regional de Cajazeiras desde (03/01/1997), mas segundo Jucinério Félix, o parlamentar Marcos Barros não presta qualquer tipo de serviço no HRC à sociedade e, recebe sem trabalhar há quase (vinte) anos.


Da redação