.

.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

SINFUMC – Os números não mentem - Informativo aos associados

Despesas com os cargos comissionados e contratados em oito meses de 2016, ordenados pela atual gestora cajazeirense.

 – Janeiro, comissionados 239 servidores. Valor disponibilizado para pagamento, determinado pela prefeita R$ 448.258,26.

– Fevereiro, comissionados 254 servidores. Ordem de pagamento por determinação do executivo municipal R$ 501.646,49.

– Março, comissionados 256 servidores. Custo da folha de pagamento ordenada pela gestora municipal cajazeirense R$ 509.692,93.

– Abril, comissionados 272 servidores. Folha de pagamento disponibilizada e autorizada pela gerente municipal R$ 544.608,15.

– Maio, comissionados 269 servidores, folha de pagamento R$ 576.692,76. Contratados no mesmo período 27servidores, folha de pagamento R$ 21.772,83.

– Junho, comissionados 277 servidores, valor disponibilizado para pagamento R$ 607.117,83. Contratados 29servidores, pagamento da folha R$ 25.461,33. 

– Julho, comissionados 274 servidores, valor da folha R$ 644.023,64. Contratados 29 servidores, valor da folha R$ 25.520,00.

– Agosto, comissionados 277 servidores, valor disponibilizado para pagamento da folha R$ 675.202,26.

Nesse período as folhas de pagamento dos 2.196 “seguidores” da administração municipal cajazeirense “por excepcional interesse público e outros” acenderam a casa de R$ 4.579.681,48 em oito meses do ano em andamento, o equivalente a um percentual acima de 15,2%, se comparado com a folha de pagamento dos servidores municipais, que totalizou R$ 29.765.507,53 para 1.445 servidores efetivos no mesmo período.

Somando-se as duas folhas nos oito meses de 2016, observe servidor municipal, que o montante pago até então, pela Casa Verde, é de R$ 34.518.742,39. No entanto, até esse instante, faltou/ vontade política para a gestão municipal pagar os meses de novembro e dezembro de 2008, novembro e dezembro de 2012, devidos aos barnabés públicos municipais, que buscam no judiciário paraibano, há quase oito anos, receber seus salários.

O Tribunal de Contas/PB é a fonte de pesquisa utilizada pelo SINFUMC, para demonstrar o montante financeiro, que a atual administração cajazeirense dispôs nesse período. E parte dos recursos acima, serviu para contemplar os camaradas do poder. 


Cajazeiras/PB, 12 de Outubro de 2016.

A DIRETORIA DO SINFUMC