.

.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Deputado estadual Jeová Campos defende unificação das eleições desde vereadores até presidente da república

Esse processo eleitoral, segundo ele, precisa de uma reflexão mais profunda da classe política e de mudanças em sua estrutura e forma

“O que eu quero dizer aqui como reflexão é que nós precisamos unificar as eleições de vereador a presidente da república. Elas podem ser até realizadas em dois dias, para que o eleitor tenha mais tempo de votar, mas não temos condições de ficar nessa ciranda viva, uma eleição atrás da outra”, disse nesta terça-feira (11), em discurso na ALPB, o deputado Jeová Campos (PSB).

O parlamentar lembrou que as eleições são necessárias para que se faça a consulta popular e reiterou que também há diversas formas de fazer com que a democracia direta possa funcionar neste país. “Nós não temos condições de fazer uma eleição em 2014, que mal terminou começou essa de agora e que imediatamente após já se começa o debate sobre as novas eleições em 2018 Esse país vai viver só de eleições?”, indagou Jeová.

Sem disfarçar seu desapontamento com o resultado das últimas eleições, o deputado lamentou o voto sem consciência. “Quando você espera que o eleitor tenha um comportamento mais maduro, um comportamento mais inteligente, de fazer a escolha do candidato que melhor se afeiçoa do ponto de vista da competência, que tenha capacidade de liderança, de realizar projetos, você constata que, infelizmente, uma grande parcela da população ainda aceita aquela velha e nefasta prática do toma lá dá cá em troca de seu voto. Isso é angustiante, é muito angustiante”, disse o parlamentar.


Jeová lamentou ainda a impossibilidade de um cidadão comum, na atual conjuntura político/eleitoral, conseguir êxito numa eventual candidatura. “É muito cruel você ver aquilo que seria a festa do povo se transformar, na verdade, numa amargura, porque hoje quem é do povo e não tem dinheiro não pode ser candidato. É para lamentar, é uma pena, pois, outrora, as eleições eram a festa da alegria e da democracia hoje é sofrimento e comércio”, finalizou o deputado, que reconheceu que as últimas eleições foram especialmente frustrantes para ele, assim como toda a condução recente da política nacional. Antes de subir a tribuna, o deputado participou dos trabalhos da Comissão de Constituição e Justiça da ALPB.

Assessoria