.

.

domingo, 17 de janeiro de 2016

Empresa que não existe na Bahia já recebeu quase 1 milhão de reais para fazer reposição de lâmpadas em Cajazeiras

Aberta em (05/03/2013), no inicio da atual gestão, na cidade de Campo Formoso, à Rua Maria Joana, nº 24 – Sala 101, no Estado da Bahia, a empresa Gemlux Soluções Ltda – ME, cadastrada na Receita Federal para realizar serviços de montagem e instalação de sistemas e equipamentos de iluminação em vias públicas, portos e aeroportos e, em nome dos empresários Rogério Silva Santos e Sheila Micheline da Costa, com capital social inicial equivalente a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), já recebeu dos cofres públicos da Prefeitura de Cajazeiras, entre os anos de 2014 e 2015, a soma de                                                                R$ 776.317,67 (setecentos e setenta e seis mil, trezentos e dezessete reais e sessenta e sete centavos), para repor lâmpadas, quando as mesmas estão queimadas.
Alvo de inúmeras denúncias ao longo dos últimos dois anos, por não prestar os serviços necessários à população, a Gemlux disponibiliza apenas de atendimento por telefone celular as pessoas que buscam pelos serviços de iluminação pública. A empresa conta apenas com dois eletricistas e um veículo equipado com escada. O escritório físico em Cajazeiras, que sempre está fechado, está localizado à margem da BR-230, dentro de uma chácara.

Em contato com um morador da cidade de Campo Formoso, no Estado da Bahia, e, indagado sobre a empresa, o homem chegou a dizer que nunca ouviu sequer falar em Gemlux e, perguntou; “Essa empresa Gemlux faz o que mesmo”? Informado que a Gemlux está cadastrada na Receita Federal naquela cidade, o rapaz indagou qual endereço – A nossa reportagem se apresentou, repassou todos os dados e, o baiano sorriu dizendo: “Rapaz esse endereço ai é num 'povoadozinho' afastado aqui da cidade, eu conheço bem lá, mas não tem empresa de iluminação lá não, ó irmão”, concluiu.
(Matriz em Campo Formoso/BA)
(Escritório em Cajazeiras/PB)
De acordo com essas informações, tudo leva a crer que a referida empresa nada mais é que uma maneira de alguém, ou um grupo “esquentar” notas fiscais frias para ludibriar o erário público. 
A reportagem do Blog Folha VIP de Cajazeiras conseguiu fotos da casa, que foi usada para abrir a empresa na Bahia, visivelmente, o local é uma comunidade humilde – não dispondo o logradouro de salas, como no demonstrativo no cartão do CNPJ.


Da redação
Com informações de Campo Formoso/BA