.

.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Comunicado – SINFUMC: Os números rebatem a invenção da crise na Prefeitura de Cajazeiras

De todos os animais que transitam no Globo Terrestre, andando, voando e nadando, o ser humano é o único que pensa, planeja e produz. Embora, existem alguns que, contam estória!

As informações numéricas a seguir foram obtidas junto à página do TCE/PB. Por isso, qualquer pessoa inconformada deverá se entender com a nossa Corte de Contas.

Entre janeiro de 2013 a outubro de 2015, a nossa prefeitura recebeu, e depois ordenou as seguintes despesas com pessoal efetivo, comissionado e contratado.

- Em 365 dias de 2013, o poder público municipal cajazeirense disponibilizou com a folha de pagamento dos servidores efetivos no total de 823 pessoas, R$ 20.571.252,66. Nesse mesmo período, utilizou mais de 28% dos recursos públicos com a folha dos servidores comissionados e contratados, se comparado com a folha dos efetivos, isto é, R$ 5.862.727,76 com 720 pessoas.

- Já em 2014, surgiram novos valores referentes aos servidores efetivos, comissionados e contratados. Ou seja, a folha dos efetivos custou aos cofres do município, em doze meses daquele ano, R$ 35.124.123,07 para 1.378 servidores. Contudo, a gestora municipal não se conteve e ordenou despesas com a folha de comissionados e contratados no montante de R$ 9.693.815,58 para 671 pessoas. Isto é, ultrapassando 27% se comparado com a folha dos efetivos no mesmo ano.

- Com relação ao período de janeiro a outubro de 2015, as folhas de pagamento continuaram em ascensão numérica. Vejamos: os 1.427 servidores efetivos custaram para a prefeitura de Cajazeiras R$ 31.206.712,48. Nesse mesmo tempo, a folha dos servidores comissionados e contratados atingiu a casa de R$ 7.122.913,97 para 255 pessoas, ou seja, foram utilizados 23% dos recursos públicos, se comparados com a folha dos efetivos no mesmo período.

- Portanto, entre janeiro de 2013 a outubro de 2015, mesmo a gestão municipal, alega que há crise financeira na administração pública local, os valores arrecadados ou recebidos para pagamento de pessoal e as despesas com servidores comissionados e contratados, depõe contra as autoridades municipais. Observe que, em 1.034 dias de governo, enquanto a prefeita ordenou despesas com a folha dos efetivos no montante de R$ 86.902.088,21 em seguida, a mesma autoridade utilizou R$ 22.679.457,31 com os comissionados e contratados.

Quem inventou a crise financeira na prefeitura de Cajazeiras? Quem anda? Quem voa? Ou quem nada?


Cajazeiras/PB, 11 de Janeiro de 2016.


A DIRETORIA DO SINFUMC