.

.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Câmera flagra professora de creche trabalhando como prostituta

Uma câmera escondida registrou o momento em que a professora de creche em Kaliningrado (Rússia) Katya Gorlova, de 22 anos, começava a fazer programa sexual com um cliente.
De acordo com reportagem do “Mirror”, Katya, que atende sob o nome de Anastasia Monpasye, recebeu o equivalente a R$ 180 pelo programa.
A russa disse que pretende processar o cliente e que o trabalho como prostituta não interfere na sua atividade na creche.
Katya já trabalhou como dançarina de boate e já teve perfil em site de encontros no qual oferecia “serviços íntimos”.
O caso provocou discussão nas redes sociais da internet. Muitos disseram que as atividades são incompatíveis, enquanto outros defenderam Katya.
“Infelizmente, as pessoas têm que sobreviver como podem”, escreveu um internauta.
Oglobo