.

.

sexta-feira, 4 de março de 2016

Saúde intensifica ações de combate ao Aedes Aegypti na cidade de Bom Jesus

A secretaria de saúde de Bom Jesus deflagrou guerra contra o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, Zika e Chikungunya. Seguindo uma orientação da secretária Dra. Denise Bandeira, os agentes de endemias deram início ao trabalho, utilizando as máquinas UBV costal, que como sugere o próprio nome, facilita o acesso aos mais difíceis locais, onde, por exemplo, o carro fumacê, não atingiria.

O trabalho teve inicio no começo da semana, pelos bairros, Sebastião Saraiva, Terezinha Gonçalves de Lima, Maria Singular de Brito, está no Bairro Populares, José Tomaz Duarte se estendendo por todos os bairros, além do Distrito de São José.

A população está sendo convocada para este enfretamento. Sem a participação efetiva de todos, o trabalho pode ficar pela metade e não dar o resultado esperado, por isso facilite o acesso dos nossos agentes  sempre eles solicitarem.

Saiba quais são os fatores que afetam o ciclo de vida do vetor e do que ele se alimenta

Do ovo à forma adulta, o ciclo de vida do A. aegypti varia de acordo com a temperatura, disponibilidade de alimentos e quantidade de larvas existentes no mesmo criadouro, uma vez que a competição de larvas por alimento (em um mesmo criadouro com pouca água) consiste em um obstáculo ao amadurecimento do inseto para a fase adulta. Em condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias.

Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana: assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

Os maiores índices de infestação pelo A. aegypti são registrados em bairros com alta densidade populacional e baixa cobertura vegetal, onde o mosquito encontra alvos para alimentação mais facilmente. Outro fator importante é a falta de infraestrutura de algumas localidades.


Sem fornecimento regular de água, os moradores precisam armazenar o suprimento em grandes recipientes, que na maioria das vezes não recebem os cuidados necessários e, por não serem completamente vedados, acabam tornando-se focos do mosquito.


Ascom