.

.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Rede Estadual da Paraíba retoma aulas de Educação Emocional e Social

“A Liga Pela Paz me deixa muito feliz. Ela me traz alegria, mexe com as emoções, e ainda é divertido!”, diz com largo sorriso nos olhos o aluno Tiago Rodrigues Santos, 9 anos, 4ª série do Ensino Fundamental I da EEEF Dom Expedito Eduardo de Oliveira, na cidade de Patos, 6ª Gerência Regional de Educação (GRE), ao ser questionado sobre sua convivência com a metodologia. Esta iniciativa da Secretaria de Estado da Paraíba vem surpreendendo a toda a comunidade escolar, ao trabalhar a educação emocional de maneira lúdica ajudando a construir um novo paradigma pedagógico para o cotidiano das escolas.

Na última segunda-feira (11), aconteceu a retomada do recesso escolar nas escolas estaduais da Paraíba. Duas escolas são alguns dos exemplos desse importante momento para a educação paraibana. Crianças da Escola Dom Expedito Eduardo de Oliveira (6ªGRE) e da Escola Castro Pinto (14ª GRE), em Jacaraú, que vivenciam a Liga Pela Paz desde 2014 e novatos foram apresentados e participaram de várias atividades que compõem o conteúdo da metodologia.

A desatenção, a provocação, o mau comportamento, a violência estão perdendo cada vez mais espaço na Dom Expedito. Fátima Ribeiro, educadora do 4º ano, explica que a introdução da Liga Pela Paz em sua escola foi algo surpreendente, com mudanças inesperadas nas atitudes das crianças. “Eram crianças que chegavam até a nos desafiar quando eram repreendidas. Hoje são menos agitadas, respeitosas, atentas às aulas, participativas. Fiquei surpresa com o silêncio dos educandos durante o exercício de ‘Quietude e Atenção’”, enfatiza a educadora.

Com 9 anos de idade, Yara Larissa de Sousa, aluna do 4º ano, explica como o conteúdo tem ajudado a melhorar as relações em casa. “Minha irmã vive brigando comigo e com minha mãe. Levo o livro que a professora me deu e leio pra ela, mostro que não devemos usar a violência com ninguém. O que aprendo aqui na escola levo também para casa”, disse Yara.

Apesar da tenra idade, apenas 10 anos, a educanda Jacyra Hellen, 5º ano, fala com propriedade sobre a metodologia. “O respeito, carinho, diálogo, a importância da amizade são coisas da Liga que carrego comigo e para minha família. Sempre que tem aula da Liga ao chegar em casa falo para meus pais o que estudamos. Eu era danadinha, fui melhorando e hoje me acho ótima aluna, gosto das atividades, participo mesmo, e vou melhorar cada vez mais”, fala Jacyra com desenvoltura.

Segunda-feira (11) também foi dia de alegria para a comunidade da EEEF Castro Pinto, no município de Jacaraú, na 14ª (GRE). Não apenas alunos, mas também seus pais foram convidados para a abertura das atividades da Metodologia Liga Pela Paz, com uma palestra sobre emoções, família e comunidade, com duas estagiárias de Educação Física, que falaram sobre a contribuição dos exercícios físicos para o aprendizado emocional. Participaram alunos do 2º ao 7º ano e depois foi oferecido um café para todos.

Este é o terceiro ano que a Castro Pinto desenvolve a metodologia. Daciele dos Santos Silva, coordenadora dos Primeiros Saberes da Infância e da Liga Pela Paz, diz que o convite aos pais para a retomada do recesso escolar teve como objetivo mostrar-lhes o que é e como funciona a educação emocional, as atividades que passam a fazer parte do cotidiano dos filhos deles em sala de aula e a ampliação do programa, que em 2016 chega aos alunos do 6º e 7º ano.

“Apresentamos também a eles o material, o conteúdo dos livros para se familiarizem com as informações que serão trabalhadas com as crianças e adolescentes. Nesses três anos de Liga Pela Paz tivemos grandes avanços na educação e a expectativa é das melhores. Acreditamos que haverá maior participação das famílias no acompanhamento do aprendizado das crianças, que ao chegarem em casa vão querer compartilhar desses conhecimentos com seus pais”, concluiu a coordenadora.

Secom