.

.

domingo, 8 de maio de 2016

Escola Técnica de Cajazeiras vai ofertar cursos que potencialize vocações naturais e oportunidades no sertão

A Escola Técnica Estadual de Cajazeiras, que vai começar a funcionar em 2017, vai ofertar além dos cursos  da grade tradicional, outras opções de formação profissional que estejam em sintonia com vocações naturais da região e com novos nichos de negócio que podem ser potencializados com a formação de mão de obra qualificada. Essa foi a principal deliberação da audiência pública, realizada na tarde desta sexta-feira (06), pela Secretaria Estadual de Educação, através da 9ª Gerência Regional, em conjunto com a ALPB, através da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente presidida pelo deputado estadual Jeová Campos. O parlamentar foi o mediador do evento, que reuniu políticos, educadores, estudantes e representantes da sociedade civil organizada de Cajazeiras e região.

Na ocasião, o professor José Antônio, ex-diretor da UFCG, fez uma retrospectiva histórica da evolução da educação em Cajazeiras e o professor Américo Falcone, Coordenador Estadual do EJATEC, defendeu que a nova escola inclua em sua grade curricular cursos que potencialize a vocação natural de Cajazeiras no ramo de confecção e também cursos de formação de mão de obra na área de energia solar, entre outros. “Há um grande potencial de desenvolvimento em energia solar e no setor de produção de confecção, por exemplo, e uma carência local de mão de obra qualificada para atuar nestas áreas e a escola pode suprir boa parte desta necessidade”, afirmou Falcone. A gerente da 9ª Regional de Educação, Andreia Braga também defendeu a inclusão de cursos técnicos diferenciados na Escola Técnica de Cajazeiras e os representantes do setor cultural presentes à audiência solicitaram a inclusão de cursos de artes cênicas, já que Cajazeiras tem uma forte tradição nesta área.

O deputado Jeová Campos, que vem defendendo a inclusão de cursos técnicos voltados para formação de mão de obra que atuem no ramo de confecção e energia solar, avaliou o debate desta sexta-feira como muito positivo. “É imprescindível que os cursos a serem implantados na Escola Técnica de Cajazeiras tenham sintonia e harmonia com o potencial da região e foi muito bom identificar que esse é o entendimento de todos os envolvidos nesse processo de implantação dos cursos na futura escola técnica e que todos estão muito esperançosos de que a nova escola abra um leque de oportunidade e conhecimento para a região”, afirma Jeová.

A prefeita de Cajazeiras, Denise Albuquerque, o professor Cesário, ex-diretor da UFCG, o secretário de Agricultura Familiar da Paraíba, Lenildo Morais, Rivelino Martins, coordenador regional do estado, a diretora do IFPB, Lucrécia Gonçalves, entre outras autoridades participaram da audiência. “Essa foi, sem dúvida, uma das mais qualificadas e produtivas audiências públicas que participei, pelos níveis dos debates e as sugestões que foram trazidas para discussão”, finalizou Jeová.


Assessoria