.

.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Maranhão critica postura de Ricardo e governador rebate “elogios”

A relação amistosa entre o senador José Targino Maranhão do PMDB e o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) parece estar cada vez mais distante. Os sinais da oficialização do rompimento entre as duas legendas estão ficando mais evidentes.

Nesta segunda-feira, (16), Maranhão, afirmou não ter sido procurado pelo governador para intermediar um contato com o presidente em exercício, Michel Temer e deixou claro que também não deve procurá-lo.

“Eu soube apenas de um recado genérico, que ele como um governador de muita força, muito prestígio, deu aos auxiliares, dizendo que aqueles que tivessem conhecimento com algum parlamentar deveria procurar. Ora, quem está no primeiro lugar, para ter essa obrigação de procurar os membros da bancada é ele próprio, principalmente como se trata de aliados como José Maranhão”, disse.

Em resposta, Ricardo Coutinho, classificou de ‘ato falho’ as declarações do senador e presidente estadual do PMDB, José Maranhão e criticou a postura da bancada federal da Paraíba que, segundo ele, não se une para conseguir recursos para o estado.

Ricardo Coutinho disse que não ouviu a entrevista do senador José Maranhão, mas garantiu que não faz a política do quanto pior, melhor.

“Eu não ouvi, então vou dar o benefício da dúvida. Se ele disso isso, eu lamento muito porque eu imagino que se eu for senador um dia, como eu fui deputado e vereador, sempre terei o sentimento de servir ao povo”, declarou.
O socialista reafirmou a disposição de manter uma aliança com o PMDB no estado e lembrou que o partido ocupa cargos importantes no seu governo. Ele também aguarda uma retratação do presidente do PMDB estadual.


Política Mais Cedo