.

.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Museu Digital de Campina Grande funcionará no Memorial aos 150 anos

Campina Grande, cidade conhecida por ser a terra do Maior São João do Mundo e pólo tecnológico e universitário, ganhará duas novidades que terão seus projetos anunciados no dia 30 de maio.

A primeira será uma instalação temporária, a “Vila dos Tropeiros”. A outra vem para revolucionar o conceito de museus na cidade: o Museu Digital de Campina Grande, que será instalado no Memorial aos 150 anos e estará aberto ao público a partir do mês de julho.

O lançamento desses dois projetos será feito pela equipe do Sesi, que através de uma parceria com a Prefeitura Municipal de Campina Grande, passa a administrar o Memorial, em regime de comodato, por exatos 30 anos.

Segundo a assessoria de imprensa do Sesi, a partir das 16h do dia 30 de maio, será lançado o projeto “Vila dos Tropeiros”, instalação no estacionamento do Memorial, que oferecerá aos visitantes um São João tradicional, remetendo às antigas quermesses dos eventos juninos do Nordeste de antigamente.

O secretário de Obras e Planejamento do município, André Agra, disse que a “Vila dos Tropeiros” será um atrativo a mais na programação do Maior São João do Mundo.

O local, que será uma cidade cenográfica planejada e comandada pelo Sesi, ficará aberto para visitação de 3 de junho a 3 julho, das 16h às 22h, com apresentações artísticas e barracas de vendas.

Já o projeto do Museu Digital de Campina Grande será apresentado às 19h, também no estacionamento do Memorial, e aprevisão é de que no mês de julho ele esteja pronto e seja aberto para visitações do público em geral.

“O Museu Digital de Campina Grande contará a história da cidade através da travessia dos tropeiros. Por isso, o local de sua instalação não poderia ser outro. Edificado às margens do Açude Velho para marcar os 150 anos de Campina, o Memorial exibe a escultura do tropeiro e seus cavalos, símbolo da evolução do desbravamento da “Rainha da Borborema”, e atrai a curiosidade dos visitantes pelos conceitos embutidos em sua concepção”, explicou André Agra.

Com 80 toneladas de estrutura metálica, o Memorial aos 150 anos de Campina Grande foi projetado pelo arquiteto Argemiro Brito Monteiro da Franca, a pedido do prefeito Romero Rodrigues, com o objetivo de resgatar a história da cidade em comemoração aos seus 150 anos.

Ainda segundo o secretário André Agra, o local “já é um cartão postal, tendo como pano de fundo o espelho d’água do Açude Velho, base inicial de abastecimento dos tropeiros, dignamente homenageados no Memorial. Agora, com a instalação de um moderno Museu Digital, ele contará a história da cidade com meios tecnológicos, atraindo visitantes de todas as idades”, ressaltou.

Palco para a Tocha Olímpica

Já no dia 2 de junho, o Memorial servirá de pano de fundo para a cerimônia de acendimento simbólico da Tocha Olímpica.

De acordo com Catharine Brasil, coordenadora de Turismo do município, a escolha do local foi baseada em seu significado histórico e no espaço disponível para o público.

A cerimônia, prevista para acontecer a partir das 17h – depois que a Tocha percorrer as ruas de Campina Grande, contará com apresentações de grupos folclóricos, quadrilhas juninas e dos artistas Capilé e Luan Estilizado, oferecendo ao comboio que acompanha a Tocha e aos campinenses uma prévia do Maior São João do Mundo.


Assessoria-PMCG