.

.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Deusdedit Leitão, historiador e imortal da APL, morre na madrugada desta quinta na Capital


historiador_deusdit.jpgNOTÍCIAS: 01/04/2010 - Morreu na madrugada desta quinta-feira (1), em João Pessoa, aos 89 anos, o historiador paraibano Deusdetit de Vasconcelos Leitão, membro da Academia Paraibana de Letras e natural de Cajazeiras. Na juventude ele foi correspondente do Jornal Correio da Paraiba no Sertão do Estado.
 
Ainda não está decidido de o sepultamento ocorrerá na Capital ou em Cajazeiras.


Deusdetit de Vasconcelos Leitão nasceu na cidade de Cajazeiras, Estado da Paraíba, em 07 de maio de 1921. 

Era filho de Eliziário Gomes Leitão e D. Maria Madalena de Vasconcelos Leitão. Casou-se na cidade de Patos, com D. Maria José César de Vasconcelos Leitão, com quem gerou oito filhos: Rui, Rita de Cássia, Maria de Fátima, Elza Helena, Nísia Magda, Eliziário, Wilson e Wilton.

O historiador estudou em escolas primárias nas cidades de Boqueirão de Parelhas, no Rio Grande do Norte; Floriano Peixoto e Missão Velha, no Ceará. Em Cajazeiras, estudou no Colégio Pe. Rolim e no Instituto São Luiz. Não tem formação acadêmica, o que não o impediu de exercer as mais variadas funções ligadas à Educação e à Cultura do seu Estado.


Em 1939, aos 18 anos, ingressou no serviço público como funcionário do Departamento de Classificação e Produtos Agropecuários; em seguida, assumiu a direção do Museu da Imagem e do Som, da UFPB; foi Secretário Geral do Conselho Estadual de Educação, Secretário da Comissão Central do Concurso de Habilitação da UFPB.; Secretário interino das Pastas da Educação e Cultura e das Finanças do Governo da Paraíba; Subchefe e Secretário-chefe do Gabinete Civil do Governador Ivan Bichara e Membro do Conselho Estadual de Cultura.

Tam bém foi professor de História , na antiga Escola Normal São José, em Souza; lecionando, também, na Escola Técnica Monsenhor Constantino Vieira e no Seminário Nossa Senhora da Assunção, em Cajazeiras. É jornalista, escritor, pesquisador e historiador. Foicorrespondente de O Norte e Correio da Paraíba, de João Pessoa; do Diário da Borborema, de Campina Grande e do Diário de Pernambuco, do Recife. Em Antenor Navarro, cidade do sertão paraibano, fundou o primeiro jornal que circulou na região, intitulado A Sombra, e em Souza, fundou Letras do Sertão. É membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, do Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica.

Ingressou na Academia Paraibana de Letras em 07 de dezembro de 1978, saudado pelo acadêmico Humberto
Nóbrega. Escreveu e publicou: Mossoró e o sertão paraibano; A família Sá no município de Souza (genealogia); Presença da Paraíba na bibliografia de Coriolano de Medeiros; Brejo do Cruz; Santa Luzia-aspectos históricos; Bacharéis paraibanos pela Faculdade de Olinda.1832-1853; História do Tribunal de Justiça da Paraíba; Os Gomes Leitão-Ramos de Lavras, Crato e Cajazeiras; São José de Piranhas-notas para a sua história; O ensino público na Paraíba-síntese histórica da Secretaria de Educação; Cadeira número dezessete- discurso de posse na APL; Vingt-Un e a história municipal, Coleção Mossoroense, 1990; A FundaçãoGuimarães Duque e a bibliografia do semi-árido, 1982; Inventário do tempo-memórias, 2000. Atualmente, está empenhado numa pesquisa sobre a história do TRT da Paraíba.
 
 
PBAgora