.

.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

PSOL discorda de Hervásio Bezerra e diz que sempre é possível fazer um pouco mais contra a violência

Ao comentar afirmações do líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba, Hervázio Bezerra (PSB), sobre a situação da Segurança Pública no Estado, o presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, disse que não se faz combate à violência apenas com viaturas e armas.

Mesmo considerando que alguma melhoria tenha ocorrido com relação à aquisição de viaturas e armamentos feita pelo Governo, Galdino disse que não basta mudança radical no aparelho da segurança, em investimento e estruturação da polícia. “Há outros fatores que precisam ser considerados, como, por exemplo, ações preventivas contra a iniciação de pessoas no mundo do crime, por meio de inserção das pessoas, especialmente dos jovens em oportunidades de vida”, afirmou.

Galdino considerou que é evidente que existe uma realidade do crime que só se resolve com a força da lei e da polícia. No entanto, ele defendeu que o governo promova ações preventivas como estratégias essenciais para reduzir a violência e o crime. “Não se diminui os índices de violência na Paraíba, com o quadro de pobreza e falta de oportunidades no mercado de trabalho e no acesso a qualificação profissional mínima”, comentou.

Numa indireta para o Governo do Estado, e questionando afirmações do líder do Governo, Hervásio Bezerra, de que o Governo só faz o que é possível, o dirigente do PSOL levou a questão para o terreno da decisão política e disparou: ”Sempre é possível fazer um pouco mais quando há vontade e compromisso dos governantes”, disse.

De acordo com o dirigente do PSOL, o governador Ricardo Coutinho (PSB) foi reeleito sob o discurso da solução de problemas, entre eles o da violência. “Não queremos a imposição da conjuntura do não posso. Os governantes têm agido como se não estivesse priorizando a questão das oportunidades como elemento de justiça e paz”, finalizou.


Assessoria