.

.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Câmara Municipal de Cajazeiras realiza sessão especial com cooperados e superintendente do SCTrans

A Cooperativa de Transporte Escolar, Alternativo e Turismo de Cajazeiras e Região Ltda; (CooperCajá), que tem como fundamentação e objetivo associativo/cooperativista participou de importante reunião na Câmara Municipal de Cajazeiras, na noite da última terça-feira (10), numa propositura do Vereador Jucinério Félix (PROS), para discutir problemas relacionados a legalização e criação de pontos exclusivos para embarque e desembarque apenas para cooperados, excluindo e punindo com multas outros motoristas, que possivelmente venham necessitar, realizar o embarque e desembarque de passageiros no Município de Cajazeiras.
Dezenas de cooperados participaram da referida reunião. O superintendente da SCTRans, Eudomar Pereira, o assessor jurídico Humberto Nóbrega e demais membros daquela autarquia se fizeram presentes, para engrandecer o discurso, porém – perceptivelmente fora notado, que o presidente da CooperCajá, o Senhor Sérgio Sátiro nunca aceitava as justificativas ali ofertadas, nem fora o suficiente sensível ao ponto de solicitar da autarquia – que os “vanzeiros” de cidades vizinhas não associados à CooperCajá fossem multados e rebocados, ao realizar paradas para embarque/desembarque de passageiros.

Ainda de acordo com os explanadores – cerca de trinta veículos estão associados à cooperativa. Usando a fala, o presidente Sérgio Sátiro solicitou que fossem criados dois novos pontos exclusivos para a cooperativa, quando na verdade os pontos existem e são usados pelos profissionais transportadores de passageiros de aproximadamente cinquenta cidades de três estados vizinhos.

Em sua fala, o superintendente Eudomar Pereira esclareceu sobre a implantação da Zona Azul e, que os cooperados, taxistas, ambulâncias, viaturas, moto-taxistas, veículos de órgãos municipais, estaduais e federais não pagarão por parada, mas atribuiu à tolerância miníma de quinze minutos de permanência nos locais indicados. Sobre a criação de dois pontos reivindicados por Sérgio Sátiro, Eudomar afirmou que será inviável, pois, os referidos pontos já existem, mas um remanejamento sim, será o caminho mais plausível.

Segundo a direção da CooperCajá, uma lei estadual entrou em vigor para regulamentar os transportes de passageiros alternativos, mas ainda está em fase ajustes, porém, órgãos de trânsito do Estado como o DER – irão fiscalizar os veículos nas rodovias estaduais. Para o jovem Renan, que fez uso da fala, motoristas que utilizam dos pontos de embarque e desembarque se associem à CooperCajá.




Da redação