...

...

quarta-feira, 5 de abril de 2017

“As provas de fraude eleitoral são contundentes”, diz Marina sobre chapa Dilma-Temer

“Sobre o adiamento do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE, é preciso ressaltar que a Justiça, no aspecto criminal, comprovou fartamente o dolo, de que houve fraude eleitoral na campanha presidencial de 2014. Agora, a Justiça Eleitoral tem igual oportunidade de ser igualmente exemplar neste julgamento que envolve o maior cargo da República. 

A própria condenação dos réus no âmbito da operação Lava-Jato, os mesmos que hoje estão dispostos a fazer acordo de delação, é prova contundente de que houve fraude eleitoral. A população espera que a Justiça Eleitoral dê uma resposta ao abuso do poder econômico e do uso do dinheiro proveniente da corrupção em eleições presidenciais. E não se pode neste caso usar como desculpa o eventual risco à estabilidade econômica, porque está em jogo a própria democracia.

E, como bem disse o relator da ação, ministro Herman Benjamin, não deve-se protelar uma decisão de tamanha importância e complexidade e que já está há mais de dois anos e meio em curso. Hoje, vimos que a estratégia de defesa é prorrogar ao máximo o processo, conforme tem sido divulgado pela imprensa, porque não tem como se contrapor ao poder dos fatos e das provas levantadas.

O advogado da ex-presidente Dilma Rousseff confirmou essa estratégia ao pedir um prazo maior para defesa com o objetivo de retardar seu andamento. Como já disse anteriormente, o PT garante o Fica Temer pela protelação do julgamento e o PSDB pela tentativa de separação da chapa, sobretudo agora que virou o principal aliado do governo Temer.”

Clique aqui para acessar o link original da publicação: