.

.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Se não houver mais doações estoque do Banco de Leite de Patos pode zerar e alimentação de prematuros ficará comprometida

Atualmente, 11 bebês estão internados na Maternidade e precisam do leite materno para sair do quadro crítico de prematuridade.

O estoque do Banco de Leite Humano Dra. Vilani Kerle, da Maternidade de Patos, está sem nenhuma reserva de segurança e se não houver mais doações, nos próximos dias, a alimentação dos recém-nascidos que estão na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatais, na UCIN e na Mãe-Canguru da maternidade e que necessitam do leite materno para sobreviver, ficará seriamente comprometida. A coordenadora do BLH, Joana Sabino, faz um apelo às mães que tem excedente de leite para doar o produto. “Nunca chegamos numa situação desta e diante da gravidade da situação peço às mães que podem doar, principalmente, as que moram em Patos, para que o façam imediatamente, pois a situação é muito delicada, já que os bebês da UTI são muito prematuros e o leite materno os ajuda a sair do quadro crítico mais rapidamente”, destaca Joana.

Ela explica que, na terça-feira (09), a Maternidade tem quatro bebês na UCIN, mais quatro na UTI e três na Mãe-Canguru que se alimentam, exclusivamente, de leite materno e que somente um dos bebês da UTI está consumindo 400 ml, em 24 horas. “Não temos estoque que garanta a alimentação destes recém-nascidos para os próximos dias e isso é desesperador, pois não podemos fabricar o produto, nem substituí-lo, por isso, apelo às mães que tem excedente que entrem em contato com a Maternidade que faremos a coleta em domicilio”, esclarecesse Joana, explicando que devido à escassez do produto, atualmente, o Banco está pasteurizando e distribuindo o leite. “Nem sobra para congelar e formar um estoque”. Atesta ela.

De acordo com Joana, a doação não prejudica o filho da doadora, pois o leite doado é o excedente, o que não será importante para o bebê que suga o leite da mãe. Além do que, quanto mais é estimulado o seio, maior será a produção. Joana lembra também que o banco fornece o kit de coleta, com luvas e potes, e a retirada é feita sem que a doadora tenha que sair de casa. “A ajuda é valiosa e um litro de leite, por exemplo, pode alimentar até dez bebês prematuros numa dieta regular”, afirma Joana. Segundo ela, as ações da Semana de Aleitamento, realizadas recentemente, foram muito positivas, porém os resultados não são imediatos.

O leite materno ajuda na recuperação e faz com que os bebês deixem o hospital mais rápido, além de proteger o bebê contra infecções gastrointestinais e, por isso, o risco de mortalidade infantil é reduzido. “Como hospital Amigo da Criança não podemos ofertar outro produto aos recém-nascidos que não seja o leite materno, além do que, mesmo que pudéssemos nada substituiria o leite humano do ponto de vista nutricional”, finaliza Joana.


Para ser doadora é só entrar em contato através dos telefones 3423-2157 e 3421-5252, que a equipe do Banco de Leite faz atendimento domiciliar, orienta a mãe com os procedimentos básicos de higiene de manuseio do leite e da ordenha mamária, como também leva um kit esterilizado que o Banco de Leite contendo (gorro, luvas, máscara, vidro esterilizado e etiqueta identificadora) para que o leite seja ordenhado com qualidade.


Assessoria