.

.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Aposentadoria rural exigirá 15 anos de contribuição do produtor

A Comissão Especial da Reforma da Previdência (PEC 287/16) rejeitou, por 23 votos a 14, destaque da bancada do PSB sobre a aposentadoria rural. Com isso, fica mantido trecho do texto-base do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), aprovado no início de maio.De acordo com a proposta, para ter acesso ao benefício, o trabalhador rural, aquele que vive de sua produção, precisará contribuir por 15 anos para a Previdência.

O presidente da Associação dos Plantadores de  Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, alega que as regras atuais são  mais justas com o trabalhador rural, que tem uma rotina diferenciada dos profissionais que atuam nas cidades. “A jornada de trabalho do homem do campo é muito diferente e mais desgastante, daí justifica-se a diferenciação que existe hoje”, afirma Murilo.

A pesquisa no site da Câmara dos Deputados, onde a matéria tramita, aponta que a PEC 287/2016, já está pronta para Pauta no Plenário. A PEC, que altera os artigos 37, 40, 42, 109, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição Federal e modifica o sistema de Seguridade Social estabelecido pela Constituição, foi enviada pelo presidente Michel Temer ao Congresso Nacional, em 5 de dezembro do ano passado.



Assessoria